A pior forma de plágio envolvendo textos escritos é aquela que acontece intencionalmente, isto é, quando o redator por vontade própria apresenta desonestamente um texto de outro como sendo próprio, caso, por exemplo, de trabalhos comprados de agências profissionais ou escrito por um amigo (Plágio Consentido).

No trabalho de produção acadêmica o plágio também pode acontecer acidentalmente, isto é, o redator por descuido ou mesmo falta de competência metodológica, não soube indicar (citar) e identificar (referenciar) claramente para o leitor as fontes consultadas.
Alguns casos de plágio acidental ocorrem porque o redator pensa que ao consultar uma fonte e redigir um resumo com as próprias palavras não é plágio. É preciso saber que o plágio não se refere apenas a cópia literal, mas também a reprodução de idéias sem a indicação e identificação da fonte.

Interessante notar o que diz sobre isto o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), instituição de ensino que recebe alunos do mundo inteiro, adverte que também é plágio a noção aceita em alguns países de que o uso de idéias de outros autores escritas com as próprias palavras não configure plágio. Isto se aplica ao Brasil.