Em estudo ainda não publicado sobre as abordagens do plágio nas melhores universidades do mundo e do Brasil, foi verificado que em geral, as ações de enfrentamento adotadas pelas instituições de ensino superior no mundo inteiro podem ser agrupadas em conjuntos de medidas preventivas, diagnósticas e corretivas. (KROKOSCZ, 2009).


Medidas Preventivas, estratégias que evitam o plágio


São caracterizadas por ações cuja finalidade é promover uma cultura antiplágio e evitar que o plágio ocorra em trabalhos científicos (artigos, relatórios, programas de computador, etc) ou em qualquer tipo de atividade acadêmica.


Integridade acadêmica

Entre as ações que contribuem estrategicamente para que o plágio seja evitado são incentivados os esforços para a promoção de atitudes fundamentadas em valores morais, como a observação e cumprimento de regras, bem como conservação e fortalecimento de princípios éticos. McCord (2008, p. 42) observa a importância deste tipo de ação recomendando a mudança da cultura institucional de “pegar trapaceiros” para a promoção da integridade acadêmica. O autor fundamenta-se em estudos que demonstram que políticas institucionais consistentes e apoiadas pelo corpo docente são mais eficazes se os próprios estudantes percebem-se como sendo justos e sensatos e que isto melhora os seus resultados acadêmicos. (BOMBARO, 2007; HUGHES; McCABE, 2006; MARTIN, 2005).
Nos Estados Unidos, o Centro de Integridade Acadêmica da Universidade de Clemson  presta serviço e oferece subsídios para a implantação e desenvolvimento de ações desta natureza em outras instituições de ensino.

Política institucional


A observação de regras e princípios depende de acordos e contratos previamente estabelecidos. Daí a importância que as instituições de ensino posicionem-se claramente e publicamente sobre a prática de plágio. É comum encontrar nas melhores universidades do mundo, páginas eletrônicas com variado conteúdo sobre o plágio (Universidade de Oxford), manuais do estudante com orientação e capacitação (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e procedimentos disciplinares relacionados ao assunto (Universidade de Stanford).

 

Orientação e esclarecimento

O plágio pode ocorrer porque o redator não sabe o que significa plagiar, ou até mesmo, porque culturalmente não se considera errado apresentar como próprias idéias alheias. Ações de orientação e esclarecimento contribuem para o consenso da comunidade acadêmica sobre o plágio e a integração de condutas. Neste sentido, podem ser destacados os exemplos, exercícios e testes online sobre plágio da Universidade de Indiana Bloomington e tutoriais e vídeos da Universidade de Essex.

 

Capacitação de escrita acadêmica

A ocorrência de plágio acidental está diretamente relacionada ao descaso e /ou incompetência do redator na elaboração do texto acadêmico. Isto pode ser sanado e o plágio prevenido com ações de capacitação de escrita acadêmica. A Universidade de Harvard tem um programa exemplar exclusivamente direcionado a isto. No Brasil, a disciplina de Metodologia Científica tem a incumbência de instrumentalizar os estudantes neste sentindo. Contudo em estudo realizado por Fachini e Domingues (2008) foi observado que o que se sabe sobre plágio é pouco, e o conhecimento demonstrado pelo estudante sobre o assunto independe do fato dele ter cursado a disciplina de Metodologia da Pesquisa. Daí a importância da intensificação de ações de capacitação de escrita acadêmica.

 

Declaração de autoria

Também pode ser considerado ação preventiva a recomendação de que alunos e professores adotem uma Declaração de Autoria anexada aos trabalhos acadêmicos apresentados, como adotado no Instituto Federal de Tecnologia da Suíça, na Universidade de Oxford e na Universidade de Cape Town. topo

Clique aqui e faça o download de um modelo adaptado de Declaração de Autoria. topo    

                                                 

Medidas Diagnósticas, adotadas para detectar o plágio

Em geral, trabalhos acadêmicos plagiados sempre foram facilmente reconhecidos por professores que conhecem minimamente o perfil dos seus alunos, o estilo de escrita deles e o nível de conhecimento que possuem. É flagrante, por exemplo, o caso mencionado por Stanlick (2008) de trabalhos que são entregues escritos com uma eloqüência que não corresponde ao vocabulário do aluno, bem como seções inteiras reproduzidas a partir da internet de fontes que sequer são acadêmicas, como blogs, enciclopédias eletrônicas, sites pessoais, institucionais ou de notícias, etc.
Entretanto, Stanlick (2008) chama a atenção para o fato de que a prática de desonestidade na realização de trabalhos acadêmicos vem se aprimorando. A autora defende a idéia de que é preciso desconfiar da capacidade intuitiva de detecção do plágio, ou simplesmente supor que uma rápida pesquisa em um buscador eletrônico já é suficiente para identificá-lo.
Os trabalhos acadêmicos devem ser submetidos a softwares e serviços eletrônicos que em um curto espaço de tempo oferecem um relatório personalizado e estatístico sobre textos reproduzidos literalmente ou modificados sem a indicação (citação) e identificação do autor (referência).
Alguns destes serviços de detecção eletrônica de plágio são listados por Santana e Martins (2003, p. 3-4): “CopyCatch Gold, Document Source Analysis (DAS), Essay Verification Engine (EVE); Glatt; IntegriGuard; Moss; Plagiserv; Yap; Wordcheck.” Internacionalmente, é bastante difundido nas universidades o uso do Turnitin e no Brasil o Farejador de Plágio.   topo    

 

 

Medidas Corretivas, ações disciplinares aplicadas ao plagiário

A diminuição do plágio está relacionada diretamente a uma postura de controle institucional.  Medidas tais como políticas de integridade acadêmica, realização de treinamentos e programas de conscientização e uso de tecnologias para detecção de plágio são imprescindíveis. Mas também é fundamental que o plagiário seja responsabilizado e penalizado pela violação da integridade acadêmica e das políticas institucionais relacionadas ao plágio. (HUGHES, McCABE, 2006 apud McCORD, 2008).
O plágio está previsto nos códigos institucionais de muitas universidades internacionais, sendo enquadrado como prática desonesta e reprovável. Em geral, as universidades apresentam-se para a comunidade acadêmica com postura rigorosa sobre o assunto (ver Universidade de Cape Town) detalhando os procedimentos que são adotados para casos constatados de plágio (ver Universidade de Cambridge) e quais são as penalidades previstas para o plagiário, que podem variar desde nota zero no trabalho escolar até a expulsão (ver Universidade de Monash) e até mesmo cassação do título obtido na universidade (ver Universidade Nacional de Taiwan).   topo